É fácil prevenir-se contra o câncer de pele. Saiba como clicando aqui!

Área Médica
Siga-nos:

Menu

Pesquisar

A influência do leite na acne

Dados do trabalho publicado no Jornal da Academia Americana de Medicina e mais de 47.000 participantes do estudo Harvard’s Nurses Healthy Study (NHS) embasam a ligação entre a ingestão de produtos derivados do leite e a acne.

Um segundo trabalho, baseado no estudo Harvard’s Growing Up Today também demonstra essa ligação. Tais estudos indicam a necessidade de atenção à dieta como parte essencial da causa e do tratamento da acne.



Hormônios presentes no leite de vaca

As pesquisas sobre a etiologia (causa) da acne têm crescido nos últimos anos. Foi demonstrado que a pele humana de fato produz hormônios e é preciso saber se os hormônios das vacas podem funcionar como pré-hormônios no sistema enzimático das glândulas de gordura.

Trabalhos realizados pela faculdade de saúde pública de Harvard estabelecem uma associação entre o consumo de leite e a acne. Mas como é possível ao leite provocar acne?

influência do leite na acne

Acne grau 4

O consumo de leite e laticínios de vacas prenhas e não-prenhas nos expõe aos hormônios produzidos permanentemente pelo animal, mas que estão aumentados durante a gestação de suas crias. Os seres humanos não foram projetados para ingerir estes hormônios seja na adolescência ou na maturidade.

Hormônios influenciam a doença

Não é segredo que a acne na adolescência está fortemente ligada à atividade hormonal. As ligações entre hormônios, atividade pilo-sebácea (glândulas de gordura) e acne vem sendo melhor definidas a cada ano. Exames do leite mostraram não somente progesterona derivada da placenta, mas também outros compostos hormonais produzidos nas glândulas mamárias da vaca.

Estes compostos são muito parecidos com o hormônio considerado como causa primária da acne e as enzimas necessárias para fazer a conversão estão presentes nas unidades pilo-sebáceas humanas, expondo as glândulas humanas de gordura a hormônios potentes para os quais estamos totalmente despreparados.

Fonte: MedNews – Especial Meeting AAD (fev/2007 – nº 104).

E compartilhe!
Desenvolvido por Visana Comunicação