É fácil prevenir-se contra o câncer de pele. Saiba como clicando aqui!

rea Mdica
Siga-nos:

Menu

Pesquisar

Melanomas nem sempre começam em um sinal

Segundo um estudo publicado no Jornal da Academia Americana de Dermatologia, os sinais não são o local mais provável para o surgimento dos melanomas, o tipo mais perigoso de câncer de pele.

Em uma revisão de 38 estudos médicos previamente publicados, envolvendo mais de 20.000 melanomas, demonstrou-se que apenas 29% dos tumores se originaram em sinais (nevos melanocíticos) que os pacientes já possuíam, enquanto 71% começaram como novas lesões de pele.



A Dra. Caterina Longo, uma das autoras, ressalta que é extremamente importante estar consciente de que a maioria dos melanomas começa na pele sã.

Isso indica que qualquer nova lesão que surge em um adulto deve ser considerada suspeita e examinada por um dermatologista.

Melanomas mais agressivos

No estudo, foi notado que os pacientes cujos melanomas começaram em um sinal são aproximadamente 5 anos mais jovens do que aqueles nos quais o câncer de pele começou como uma nova lesão. Não houve diferença significante na incidência em relação ao sexo.

Melanomas que começam como novas lesões tendem a ser mais agressivos do que aqueles associados com os sinais, sugerindo que os dois tipos de malignidades podem ter comportamentos diferentes, diz o Dr. Riccardo Pampena, autor principal do estudo.

melanomas

Melanoma maligno

O exame completo da pele e o seguimento de qualquer sinal atípico por um dermatologista continua sendo fundamental para a prevenção do tumor. No entando, não apenas os sinais, mas toda a superfície da pele deve ser monitorada pelos pacientes e seus médicos em busca de novas lesões, o autor acrescenta.

Auto-exame é fundamental na detecção

A Dra. Doris Day, dermatologista do Hospital Lenox Hill, em Nova York, diz que, apesar do auto-exame ser fundamental para a prevenção da doença, muitas vezes os pacientes não sabem o que procurar.

As pessoas devem examinar a sua pele em busca de qualquer mudança. Elas devem conhecer a sua própria pele e, se notarem algo de novo ou diferente, devem mostrar ao seu dermatologista, ela diz.

Além disso, é recomendado o uso consciente de proteção solar e o exame anual da pele pelo dermatologista em busca de qualquer possível lesão suspeita.

Saiba como fazer o auto-exame da pele.

 

Fonte: HealthDay e Medscape Dermatology

E compartilhe!
Desenvolvido por Visana Comunicação