É fácil prevenir-se contra o câncer de pele. Saiba como clicando aqui!

Área Médica
Siga-nos:

Menu

Pesquisar

Carcinoma de células de Merkel

O que é?

O carcinoma de células de Merkel é um tumor raro que se forma quando estas células, que se localizam na pele e são relacionadas com o sentido do tato, se multiplicam sem controle.

Também conhecido como carcinoma neuroendócrino ou carcinoma trabecular, acomete com mais frequência pessoas idosas e aparece principalmente nas áreas da pele que ficam expostas ao sol, sendo mais frequente na cabeça e no pescoço, mas podendo também ser encontrado nos braços, pernas e tronco.

Histórico de exposições prolongadas ao sol e deficiências do sistema imune são fatores de risco para o surgimento do tumor.

Manifestações clínicas do carcinoma de células de Merkel

O carcinoma de células de Merkel geralmente é único, indolor, de consistência firme e elevada, formando massa tumoral de coloração avermelhada ou violácea. O crescimento é rápido, podendo provocar ulceração (formação de ferida) e sangramento.

Abaixo, na sequência de fotos, pode ser notado o aumento do tamanho do tumor em apenas 20 dias.

carcinoma de células de Merkel

carcinoma de células de Merkel

O tumor tem tendência a se disseminar precocemente invadindo os tecidos ao seu redor ou enviando metástases para gânglios linfáticos, pulmões, cérebro, ossos e outros órgãos, através do sistema linfático ou do sangue.

Devido à sua semelhança com outros tipos de tumor, o diagnóstico do carcinoma de células de Merkel deve ser confirmado através do exame de uma biópsia da lesão ao microscópio e de testes para confirmar qual é o tipo de célula tumoral encontrada.

Tratamento

O tratamento do carcinoma de células de Merkel vai depender do estágio em que se encontra a doença.

O tumor deve ser removido cirurgicamente o mais cedo possível para prevenir a sua disseminação à distância, que pode ocorrer de forma precoce, sendo fundamental procurar um médico dermatologista se uma lesão com as características descritas acima for detectada.

A retirada deve ser ampla, devido a ser frequente o retorno da lesão no local da cirurgia. Durante a remoção da lesão cutânea, pode ser realizada a pesquisa de metástases nos gânglios regionais. Em caso positivo, estes devem ser retirados.

Radioterapia na região original do carcinoma e quimioterapia, podem ser necessárias para a eliminação de células tumorais nos casos em que já tenha ocorrido a disseminação de metástases.

O caso demostrado acima foi tratado com retirada cirúrgica e radioterapia. Dezoito meses após a cirurgia, não há sinal de retorno da lesão.

carcinoma de células de Merkel

Outras imagens

Veja mais imagens de carcinoma de células de Merkel.

 

Colaboração: Dr. Roberto Barbosa Lima – Dermatologista

E compartilhe!

Câncer de Pele

Saiba o que é e aprenda a se prevenir

O câncer da pele é um tumor formado por células da pele que sofreram uma transformação e multiplicam-se de...

Saiba mais

Fale com o Doutor

Encontre um Dermatologista

Utilize o nosso sistema de busca para encontrar o dermatologista na localidade ideal para você!

Ir à Busca
Publicidade
Desenvolvido por Visana Comunicação