É fácil prevenir-se contra o câncer de pele. Saiba como clicando aqui!

Área Médica
Siga-nos:

Menu

Pesquisar

Doença de Bowen, Carcinoma espinocelular intraepidérmico

O que é?

A Doença de Bowen é um carcinoma espinocelular que se localiza na camada mais superficial da pele, a epiderme, sem atingir as camadas mais profundas. Daí também ser conhecido como carcinoma espinocelular intraepidérmico ou carcinoma espinocelular in situ.

Aparece principalmente em adultos maduros e idosos, de pele clara, nas áreas de pele expostas ao sol, o que mostra a importância da radiação solar como causa do seu surgimento. Outras causas são a ingestão de arsênico, exposição a radiações ionizantes (como o Raio X) e infecção pelo HPV no caso de lesões genitais.

Quando localizada na glande (cabeça do pênis) ou na parte interna da pele que a recobre, recebe o nome de Eritroplasia de Queyrat.

Manifestações clínicas da doença de Bowen

A Doença de Bowen pode aparecer em qualquer área da pele mas é mais frequente nas regiões expostas ao sol, como orelhas, face, mãos e pernas.

É caracterizada por lesão plana, de coloração avermelhada, descamativa, que pode ter áreas com a superfície úmida. Cresce gradualmente podendo atingir alguns centímetros de tamanho.

doença de bowen

Doença de Bowen no dedo da mão

O aumento da espessura da lesão, ulceração ou sangramento podem indicar evolução para um carcinoma espinocelular invasivo, o que ocorre em um pequeno percentual dos casos.

Tratamento

A proteção solar é a melhor forma de evitar o surgimento da Doença de Bowen, já que a sua localização mais frequente são as áreas de pele expostas frequentemente ao sol.

O tratamento cirúrgico, através da retirada total da lesão, é o ideal, por ter a maior taxa de cura.

Outras opções terapêuticas são a terapia fotodinâmica e o uso do imiquimode ou do 5-fluoracil que, no entanto, apresentam maior taxa de recidiva (retorno da lesão).

Pacientes com histórico de Doença de Bowen são mais suscetíveis ao surgimento de outras lesões e devem ser acompanhados de tempos em tempos por um dermatologista para detecção precoce de lesões suspeitas deste ou de outros tipos de câncer de pele.

 

Colaboração: Dr. Roberto Barbosa Lima – Dermatologista

E compartilhe!
Desenvolvido por Visana Comunicação