É fácil prevenir-se contra o câncer de pele. Saiba como clicando aqui!

Área Médica
Siga-nos:

Menu

Pesquisar

Impetigo

O que é?

O impetigo é uma infecção bacteriana da pele, causada pelos germes estafilococos e estreptococos.  Ocorre de forma mais frequente nos meses mais quentes do ano. Apesar de ser mais comum em crianças, também pode afetar adultos que tenham pouca imunidade contra as bactérias. A doença é contagiosa, podendo ser transmitida para outras pessoas.

Existem duas formas de manifestação do impetigo:

  • bolhoso, causado pelo germe Staphilococcus aureus;
  • não bolhoso, causado principalmente pelo estreptococos beta-hemolítico (Streptococcus pyogenes) mas também pelo Staphilococcus aureus.



Os seguintes fatores podem favorecer o surgimento da doença: eczema atópico ou dermatite atópica, escabiose (sarna), varicela (catapora), picadas de inseto, pequenos ferimentos e queimaduras na pele, falta de higiene e clima quente.

Quando uma doença da pele preexistente ou uma ferida ocasionada por qualquer tipo de trauma é infeccionada pelas bactérias responsáveis pelo surgimento do impetigo, diz-se que a lesão sofreu impetiginização.

Manifestações clínicas do impetigo

A doença costuma afetar as áreas expostas da pele, como as extremidades e a face, principalmente ao redor da boca e do nariz. As narinas podem ser um foco de infecção. Áreas de dobras da pele, como o sulco interglúteo, virilhas e axilas também costumam ser afetadas.

Inicia-se pelo surgimento de manchas avermelhadas que evoluem para a formação de vesículas e bolhas com pus. Estas rapidamente se rompem (muitas vezes as bolhas nem são vistas) formando feridas recobertas por crostas espessas de aspecto semelhante ao mel ressecado que, devido a este aspecto, recebem a denominação de crostas melicéricas.

impetigo

Feridas recobertas por crostas

Pode se apresentar como várias pequenas lesões disseminadas ou poucas que vão se juntando e/ou aumentando progressivamente de tamanho. Coceira é um sintoma que pode estar presente. Mais raramente, nos casos extensos, pode haver o surgimento de linfadenopatia (íngua), febre baixa e mal-estar.

As lesões podem regredir espontaneamente até a cura mas, muitas vezes, propagam-se às regiões próximas formando novas lesões.

No caso do impetigo estreptocócico, há o risco, ainda que raro, de ocorrência de glomerulonefrite aguda, doença grave que compromete os rins, devido a um fenômeno alérgico que pode ocorrer na vigência da infecção.

Tratamento

É importante realizar a limpeza caprichada das lesões com a remoção de todas as crostas. A retirada das crostas é mais fácil após o amolecimento das mesmas com água durante o banho.

Nos casos mais simples (fotos abaixo), está indicado o uso de antibióticos na forma de creme ou pomada até o completo desaparecimento das lesões.  Para casos mais extensos, ou com risco de glomerulonefrite aguda, deve-se utilizar antibióticos por via oral, de acordo com a determinação do médico dermatologista.

impetigo

Impetigo antes e depois do tratamento

O uso de antibióticos na forma de creme ou pomada nas narinas pode ser necessário nos casos de reincidência da infecção, para eliminar possível foco de contaminação. Crianças com impetigo não devem manter contato com outras crianças para evitar a disseminação da infecção.

Outras imagens

Veja mais imagens de impetigo.

 

Colaboração: Dr. Roberto Barbosa Lima – Dermatologista

 

E compartilhe!

impetigo

E compartilhe!
Desenvolvido por Visana Comunicação