É fácil prevenir-se contra o câncer de pele. Saiba como clicando aqui!

Área Médica
Siga-nos:

Menu

Pesquisar

Melanoma – O câncer de pele mais perigoso

O que é o melanoma?

O melanoma é o câncer de pele mais perigoso. É um tumor maligno muito grave devido ao seu alto potencial de produzir metástases, enviando células tumorais para outros órgãos, onde se desenvolvem e podem levar o paciente à morte.

Origina-se dos melanócitos, células que produzem o pigmento que dá a cor da pele. Pode se iniciar na pele sã ou a partir de lesões pigmentadas pré-existentes, os nevos melanocíticos (pintas e sinais escuros).



De ocorrência mais frequente em pessoas de pele clara, fototipos I ou II, o melanoma pode surgir em área de pele não exposta ao sol, no entanto, o maior número de lesões aparece nas áreas da pele que ficam expostas à radiação solar.

De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer, embora o câncer de pele seja o tipo de câncer mais frequente no Brasil e corresponda a 30% de todos os tumores malignos registrados no País, o melanoma representa apenas 3% das neoplasias malignas da pele.

Manifestações clínicas

O tumor inicia-se como uma lesão escura que aumenta de tamanho em extensão e/ou profundidade, com alteração de suas cores originais, surgimento de pontos pigmentados ao redor da lesão inicial, ulceração (formação de ferida), sangramento ou sintomas como coceira, dor ou inflamação.

melanoma

Coloração variada, assimetria, bordas irregulares

Na fase inicial, o tumor está restrito à camada mais superficial da pele, época ideal para realização do diagnóstico e tratamento pois, nesta localização, ainda não ocorre a disseminação de células tumorais à distância e a retirada completa do tumor tem altos índices de cura. É o melanoma “in situ”.

Quando a neoplasia deixa de ser plana, formando lesão elevada na pele, é sinal de que também está progredindo em profundidade. A profundidade atingida e a espessura da lesão são os parâmetros que definem a gravidade da lesão. Quanto mais profunda e espessa, mais grave, pois aumentam os riscos de metástases para outros órgãos.

Formas variadas de apresentação

O tumor pode se apresentar de diversas formas. O tipo mais comum de apresentação é o melanoma superficial extensivo (foto abaixo). De crescimento mais lento e horizontal, este tipo é mais facilmente identificado, facilitando o tratamento precoce e a cura.

melanoma

Melanoma superficial extensivo

Outras formas de apresentação são o melanoma nodular primário, que tem crescimento em profundidade mais rápido e o lentigo maligno, tumor plano que ocorre mais frequentemente em pessoas acima de 60 anos de idade e aparece em áreas de grande exposição solar, principalmente a face.

O melanoma acral é uma forma de apresentação na qual a localização do tumor é nos pés ou nas mãos. Abaixo, um melanoma acral em estágio avançado na planta do pé.

melanoma

Melanoma acral

Uma apresentação mais rara é o melanoma amelanótico, quando o tumor não tem a coloração escura, o que dificulta bastante o diagnóstico clínico e o tratamento precoce.

Regra do ABCD

As lesões de melanoma apresentam características fáceis de se reconhecer aprendendo-se a regra do ABCD:

  • Assimetria: formato irregular
  • Bordas irregulares: limites externos irregulares
  • Coloração variada (diferentes tonalidades de cor)
  • Diâmetro: maior que 6 milímetros (o diâmetro de um lápis)

Na foto abaixo os critérios do ABCD podem ser percebidos nitidamente.

melanoma

Critérios do ABCD bem definidos

Sinais escuros que começam a adquirir características como estas acima podem estar se transformando em um melanoma, principalmente se estiverem em áreas de exposição contínua ao sol. A radiação ultra-violeta do sol pode estimular a transformação de nevos pigmentados em melanomas. A proteção solar é a melhor forma de prevenir o surgimento da doença.



Além disso, ao ABCD pode-se acrescentar ainda o E, de evolução. Qualquer alteração em sinais antigos, como: mudança da cor (para mais escuro ou mais claro) ou formato, aumento de tamanho, sangramento, coceira, inflamação ou surgimento de áreas pigmentadas ao redor do sinal justifica uma consulta ao dermatologista para avaliação.

Tratamento

O tratamento do melanoma é cirúrgico e deve ser realizado o mais precocemente possível de modo a se evitar a disseminação de metástases. O diagnóstico e o tratamento precoce são fundamentais para a cura.

Quem possui lesões pigmentadas na pele com características suspeitas de melanoma deve procurar o seu dermatologista o quanto antes para uma consulta.

Outras imagens

Veja mais imagens de melanoma.

 

Colaboração: Dr. Roberto Barbosa Lima – Dermatologista

 

E compartilhe!
Desenvolvido por Visana Comunicação