É fácil prevenir-se contra o câncer de pele. Saiba como clicando aqui!

Área Médica
Siga-nos:

Menu

Pesquisar

Finasterida: a calvície pode ser evitada

Aqueles que estão ficando calvos devido à alopécia androgênica (calvície de causa genética) têm uma chance de evitar a calvície com o uso da finasterida, medicamento que atua bloqueando o processo que leva à diminuição progressiva dos cabelos.

Este processo está relacionado com a presença de um subproduto da testosterona no couro cabeludo, cuja formação pode ser bloqueada pelo remédio.

Tratamento com finasterida é eficaz na maioria dos casos

Segundo os estudos realizados pelo laboratório que pesquisou o seu uso para o tratamento da alopécia, a finasterida interrompe a evolução da calvície em 86% dos homens tratados.

O medicamento era originalmente utilizado para o tratamento do aumento da próstata. A observação de seus efeitos sobre a calvície de pacientes que utilizavam o produto para esta finalidade, chamou a atenção do laboratório que, reduzindo a concentração da finasterida, manteve os resultados sobre os cabelos e praticamente eliminou a incidência de efeitos colaterais.

Como atua a finasterida?

finasterida - tratamento da calvicie

Resultado do tratamento com finasterida

A finasterida atua bloqueando a ação da enzima 5-alfa-redutase, que transforma a testosterona (hormônio masculino) em diidrotestosterona (DHT). O DHT é o hormônio que atua sobre os cabelos promovendo a sua miniaturização, cujo resultado final é a calvície.

Com o bloqueio da enzima, interrompe-se a formação do DHT e os cabelos que ainda não atrofiaram podem voltar a crescer, recuperando áreas que estavam rarefeitas.

O efeito de repilação ocorreu em 48% dos homens que usaram a finasterida por 1 ano e em 66% dos que usaram por dois anos (dados fornecidos pelo laboratório responsável pelos estudos).

Tratamento deve ser contínuo

Para manutenção do resultado, o tratamento deve ser contínuo pois, com a sua interrupção, o DHT volta ser formado e o processo de miniaturização dos cabelos volta a acontecer.

O tratamento deve ser prescrito e acompanhado pelo médico dermatologista que irá avaliar a necessidade de solicitar exames antes de iniciá-lo ou de associar outros medicamentos para a obtenção de melhores resultados.

Colaboração: Dr. Roberto Barbosa Lima – Dermatologista

E compartilhe!

Câncer de Pele

Saiba o que é e aprenda a se prevenir

O câncer da pele é um tumor formado por células da pele que sofreram uma transformação e multiplicam-se de...

Saiba mais

Fale com o Doutor

Encontre um Dermatologista

Utilize o nosso sistema de busca para encontrar o dermatologista na localidade ideal para você!

Ir à Busca
Publicidade
Desenvolvido por Visana Comunicação