É fácil prevenir-se contra o câncer de pele. Saiba como clicando aqui!

Realização: Barbosa Lima Dermatologia

Menu

Pesquisar

Excisão de lesão com rotação de retalho

A excisão de lesões da pele com rotação de retalho cutâneo, também conhecida como retalhoplastia, é utilizada quando não é possível a retirada de uma lesão por excisão e sutura simples.

Isso pode ocorrer devido ao tamanho da lesão ser muito grande ou à sua localização não permitir o uso da sutura simples para o fechamento direto da ferida cirúrgica.

Trata-se de técnica cirúrgica mais complexa, que exige treinamento em cirurgia dermatológica avançada.

Continue a ler após a publicidade…



Consiste na rotação ou avanço de uma área da pele contígua à lesão que será removida para fazer o fechamento da ferida cirúrgica resultante da remoção.

Quando não é possível fechar a ferida cirúrgica por sutura simples, o uso da técnica de retalho deve ser a primeira opção de reconstrução, por utilizar pele contígua à lesão para o seu fechamento.

O resultado estético costuma ser melhor do que a reconstrução com o uso de enxerto de pele retirada de um local à distância pois a pele de outra região pode apresentar diferença de cor e textura em relação à pele ao redor da área enxertada.

Como é feita a excisão com rotação de retalho?

Após a limpeza da pele, é feita uma marcação da área da pele que será removida, incluindo uma faixa de pele saudável ao redor da lesão, a chamada margem de segurança.

A finalidade da margem de segurança é evitar que células tumorais imperceptíveis a olho nu não sejam removidas junto com o tumor.

Além da marcação da área a ser retirada, é feito o desenho do retalho que vai ser usado para fechar a ferida resultante da remoção da pele doente.

Em seguida, é feita a anestesia injetável e a lesão tumoral é retirada. Em caso de sangramento, este é controlado para que o retalho possa ser colocado no local.

No próximo passo, a área de pele que será utilizada para o fechamento da ferida cirúrgica, chamada de retalho, é descolada e reposicionada, cobrindo a ferida resultante da retirada do tumor.

O retalho é então suturado, fechando a ferida, com pontos internos e externos. Os pontos externos são retirados dentro de 7 a 15 dias.

Continue a ler após a publicidade…



Retalho de avanço em ilha ou V-Y

Nas fotos abaixo, um exemplo de excisão e sutura com retalho de avanço em ilha ou V-Y, para o tratamento de um carcinoma basocelular, o tipo de câncer de pele de ocorrência mais frequente.

O círculo é a área de pele que será removida. Dentro do círculo, o pontilhado marca o limite visível do tumor. A faixa de pele entre o pontilhado e o círculo desenhado é a margem de segurança.

rotação de retalho
Retalho de avanço em ilha
Cortesia do Dr. Roberto Barbosa Lima

O triangulo com a seta é a pele que será usada para cobrir a ferida resultante da remoção da área circular (retalho). A seta indica o sentido no qual o retalho triangular será avançado para fazer o fechamento.

A foto da direita mostra o retalho já avançado e suturado. Os pontos foram retirados após 7 dias.

.

Publicado por: Dr. Roberto Barbosa LimaDermatologista Titular da SBD
Instagram: @dr.robertobarbosalima

.

Gostou? Compartilhe!

Dr. Roberto Barbosa Lima

Coordenador do Dermatologia.net

Especialista da Sociedade Brasileira de Dermatologia e Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica.

Saiba mais

O câncer de pele é curável

Procure o Dermatologista

Surgiu um sinal novo? Não perca tempo! O câncer de pele, quando tratado precocemente, pode ser curado.

Saiba mais

Desenvolvido por Visana Comunicação