Dermatologia OnlineDermatologia Online

Saúde e Beleza da pele
Publicidade
Siga-nos no Twitter Facebook
Enviar
Doenças da Pele

Molusco Contagioso

O que é?

O molusco contagioso é uma doença viral que provoca lesões na pele muitas vezes confundidas com verrugas. A transmissão da doença se dá pelo contato direto com pessoas contaminadas.

Atinge preferencialmente as crianças, devido à imunidade ainda não estar totalmente desenvolvida. É frequente o achado da doença em crianças com dermatite atópica.

O molusco contagioso também pode atingir adultos, principalmente aqueles que tenham alguma imunodeficiência, como pacientes infectados pelo HIV ou transplantados. Nos adultos as lesões costumam afetar principalmente áreas de pele mais fina e podem ser transmitidas pelo contato sexual.

Manifestações clínicas

As lesões do molusco contagioso são pequenas, elevadas, hemisféricas, da cor da pele, com aspecto translúcido e apresentando umbilicação central. Podem estar isoladas (mais comum) ou se agrupar. O tamanho das lesões pode variar de puntiformes a cerca de 5 milímetros de diâmetro.

molusco contagioso

As lesões são autoinoculáveis e podem se espalhar. Em algumas crianças o molusco contagioso se dissemina rapidamente chegando a centenas de lesões. Atingem principalmente o tronco e a raiz dos membros. As lesões são geralmente assintomáticas, mas pode haver prurido (coceira) discreto.

A doença pode apresentar involução espontânea, o que pode levar de alguns meses a anos, desde que o organismo possa desenvolver defesas contra o vírus.

Tratamento

O tratamento consiste na destruição das lesões que pode ser feita através da eletrocoagulação, criocirurgia, curetagem, cauterização química ou expressão manual. Quando curetada ou retirada através da expressão manual, elimina um conteúdo semelhante a uma "massa" de cor esbranquiçada.

Uma alternativa de tratamento é o uso de imunomoduladores (imiquimod), no qual a aplicação do produto modifica a resposta imune na áreas tratadas, levando à eliminação das lesões.

Deve-se iniciar o tratamento quando surgem as primeiras lesões, evitando a disseminação que ocorre em alguns casos, quando pode ser necessária a internação para realizar o tratamento sob anestesia, devido ao incômodo causado pelos métodos de remoção.

Colaboração: Dr. Roberto Barbosa Lima - Dermatologista

Veja também...


Encontre um dermatologista



 

 
Publicidade

Todos os direitos reservados © Dermatologia.net - desde 1996
É proibida a reprodução de fotos e textos sem a nossa autorização expressa.