Dermatologia OnlineDermatologia Online

Saúde e Beleza da pele
Publicidade
Siga-nos no Twitter Facebook
Enviar
Doenças da Pele

Pediculose pubiana ("Chato")

O que é?

Parasitose conhecida há séculos, a pediculose do púbis é causada pelo Phthirus pubis, um piolho pubiano. Doença muito contagiosa, é transmitida através do contato sexual, mas pode ser veiculada por meio de vestuário, roupas de cama e toalhas contaminadas.

Manifestações clínicas

Os sintomas surgem de uma a duas semanas após a infestação ou em menor tempo, se o paciente já apresentou infestação prévia pelo piolho. Coceira intensa nos locais afetados é a principal queixa do paciente.

O piolho adulto e as lêndeas são encontrados agarrados aos pelos pubianos e também nas regiões pilosas do abdômen inferior, coxas e nádegas. O piolho pubiano é muito pequeno e, ao exame, o que se percebe são pequenos pontos pretos aderidos à base dos pelos, bem junto à pele.

Ocasionalmente, o piolho adulto pode ser encontrado nas axilas, pálpebras e supercílios. Lesões de urticária, bolhas e manchas azuladas podem ocorrer após as picadas dos piolhos.

Tratamento

O tratamento da pediculose pubiana consiste no uso de medicamentos específicos para o extermínio dos parasitas nas áreas afetadas, em duas aplicações, com intervalo de sete dias entre uma e outra. A aplicação deve incluir, além da região pubiana, as áreas pilosas próximas (coxas, abdomen, nádegas).

Existe também um tratamento com medicação via oral, sob a forma de comprimidos, que também deve ser repetido após uma semana. Em alguns casos, pode-se associar os tratamentos oral e local. O tratamento mais indicado para cada caso deve ser definido pelo dermatologista.

Colaboração: Dr. Roberto Barbosa Lima - Dermatologista

Veja também...



Encontre um dermatologista



 

 
Publicidade

Todos os direitos reservados © Dermatologia.net - desde 1996
É proibida a reprodução de fotos e textos sem a nossa autorização expressa.