É fácil prevenir-se contra o câncer de pele. Saiba como clicando aqui!

Realização: Barbosa Lima Dermatologia

Menu

Pesquisar

Líquen escleroatrófico

O que é?

O liquen escleroatrófico é uma doença de causa desconhecida, que atinge preferencialmente as mulheres. É mais comum nos adultos, mas pode acometer as crianças.

Não é uma doença contagiosa e não há necessidade de evitar o contato físico com outras pessoas.

Continue a ler após a publicidade…



As lesões localizam-se com mais frequência na regiões genital e anal, mas ocorrem também em outras áreas do corpo, como o pescoço, ombros, dorso do tronco e tórax anterior.

Manifestações clínicas do líquen escleroatrófico

As lesões características são mais claras que a pele, de aspecto atrófico (a pele fica fina) e apresentando pequeninos pontos endurecidos nos poros. Pode haver descamação em alguns casos.

O tamanho das lesões costuma variar de poucos milímetros a vários centímetros. Em geral, são assintomáticas, mas pode haver coceira, principalmente nos casos de lesões nos genitais femininos.

líquen escleroatrófico
Líquen escleroatrófico

Nas regiões genitais, as lesões costumam ser bem brancas, em alguns casos simulando vitiligo. No homem, a localização mais frequente é a glande e, na mulher, a vulva.

Nestes casos, a doença pode adquirir uma característica esclerosante, com diminuição da elasticidade da pele, que se torna endurecida, dando origem aos quadros conhecidos como balanite xerótica obliterante, no homem e craurose vulvar, na mulher.

Continue a ler após a publicidade…



Quando a doença atinge a genitália feminina ainda na infância, com características semelhantes ao vitiligo, pode haver regressão espontânea com o passar dos anos.

O diagnóstico da doença geralmente baseia-se nas suas características clínicas, mas uma biópsia pode ser necessária para a confirmação.

Tratamento

O tratamento das lesões cutâneas é feito com corticosteróides tópicos, sobre a forma de cremes ou pomadas.

As lesões genitais podem ser tratadas com pomadas a base de testosterona ou progesterona, de acordo com cada caso.

A duração do tratamento é geralmente longa, devendo-se ter perseverância no uso das medicações para se obter os melhores resultados.

.

Publicado por: Dr. Roberto Barbosa LimaDermatologista Titular da SBD
Instagram: @dr.robertobarbosalima

.

Gostou? Compartilhe!

Dr. Roberto Barbosa Lima

Coordenador do Dermatologia.net

Especialista da Sociedade Brasileira de Dermatologia e Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica.

Saiba mais

O câncer de pele é curável

Procure o Dermatologista

Surgiu um sinal novo? Não perca tempo! O câncer de pele, quando tratado precocemente, pode ser curado.

Saiba mais

Desenvolvido por Visana Comunicação