É fácil prevenir-se contra o câncer de pele. Saiba como clicando aqui!

Área Médica
Siga-nos:

Menu

Pesquisar

Influência da atividade física sobre a pele

Atualmente, grande número de pessoas vêm dedicando tempo a exercícios físicos. Esta é uma prática que começou a generalizar-se em torno de 1970 com a publicação do livro em que o Dr. Kenneth Cooper relatava suas pesquisas e propunha um teste de aptidão física por meio de uma corrida de doze minutos. Desde então, pessoas passaram a correr e a procurar academias de ginástica para praticar outros tipos de treinamento.

Este foi um grande benefício que o Dr. Cooper trouxe à humanidade. No início, ele estava voltado para o melhoramento do sistema cardiorrespiratório. O desenvolvimento posterior do seu programa e inúmeras observações feitas por pesquisadores diversos vêm mostrando que os efeitos da atividade física atingem todo o organismo. Hoje, sabe-se que o sedentarismo é a origem de um grande número de doenças originadas do desuso do corpo.

Os exercícios físicos e o melhoramento da saúde

Entre os inúmeros efeitos benéficos da atividade física salientamos cinco como os mais importantes:

1 – Aumento da atividade antioxidante: no início de suas pesquisas, o Dr. Cooper dizia que quanto mais exercício melhor. Depois, teve a atenção despertada para diversos casos de pessoas altamente condicionadas que desenvolviam doenças graves ou morriam subitamente. Descobriu que esse fato se devia à quantidade de exercício praticado, que, quando exagerado ou inadequado ao corpo, gerava uma grande quantidade de radicais livres, que são os agentes do envelhecimento e da doença.

Em novas pesquisas, Cooper verificou que, na dose certa, os exercícios melhoram a atividade anti-radicais livres, chamada antioxidante, pelo aumento das enzimas bloqueadoras. Assim, quem pratica exercícios bem orientados, embora aumente a quantidade de radicais livres, dá ao corpo melhor capacidade para lidar com eles. A neutralização do excesso de radicais livres é imprescindível para manter a saúde e a juventude.

2 – Maior produção de substâncias antienvelhecimento: os exercícios, particularmente a musculação, aumentam a produção de substâncias químicas, que têm grande ação contra o envelhecimento. Entre elas, as principais são o hormônio de crescimento e a L-glutamina.

3 – Sensação de calma e alegria: a atividade física favorece a produção dos opiatos naturais do organismo, que são cem vezes mais potentes do que a morfina. São as morfinas endógenas, chamadas endorfinas, substâncias produzidas pela hipófise, que diminuem a sensação de dor e provocam felicidade e euforia. Este fato lança luz sobre por que, após determinada distância percorrida, o corredor tem o cansaço e a dor muscular atenuados e sente o impulso de aumentar seu rendimento e consegue superar suas marcas anteriores. As endorfinas levam ao relaxamento e ao melhor rendimento físico.

4 – Ação anticancerígena: este é um efeito surpreendente. Inúmeros trabalhos científicos têm mostrado que as pessoas que se exercitam têm menor incidência de diversos tipos de câncer. Talvez a ação conjunta dos enzimas antioxidantes e a modulação do sistema imunitário pelas endorfinas sejam os responsáveis, entre outros, por essa proteção dada pelos exercícios.

5 – Melhor capacidade mental: é fato comprovado que a prática de exercícios melhora a capacidade mental e impede o declínio cognitivo. O fato provavelmente é devido ao aumento do suprimento sanguíneo do cérebro com conseqüente melhor oxigenação e maior aporte de nutrientes e de substâncias essenciais para seu funcionamento, como acetil-L-carnitina, coenzima Q10, fosfatidilserina e pregnenolona.

Tipo de exercício adequado à melhor saúde

O melhor benefício para a saúde provém de exercícios moderados e praticados regularmente. São exercícios praticados três a cinco vezes por semana, que mantenham a freqüência cardíaca a 80% da freqüência máxima durante 20 a 30 minutos. A freqüência cardíaca máxima é obtida subtraindo-se a idade da pessoa de 220. Oitenta por cento desse valor é a freqüência que deve ser atingida durante os exercícios e mantida pelo tempo mínimo prescrito pelo médico.

A atividade física deve incluir alongamento, exercícios aeróbicos e musculação. Os aeróbicos são os mais importantes, porque desenvolvem a resistência cardiovascular e a capacidade respiratória e garantem maior oxigenação às células.

Repercussões da atividade física na pele

A pele recebe os efeitos dos exercícios em primeiro lugar pelo aumento de endorfinas, que dão bom humor, aumento de autoestima e relaxamento e também modulam o sistema imunitário, o que melhora a resistência a doenças. A neutralização dos radicais livres diminui a ação desses grandes causadores de alterações da pele.

A utilização do oxigênio por meio dos exercícios aeróbicos favorece a nutrição da pele. A produção de hormônio de crescimento e outras substâncias antienvelhecimento retarda o ritmo em que a pele sofre as modificações do tempo. E a manutenção do bom funcionamento cerebral permite que a pessoa mantenha seu autocontrole e seus cuidados para a saúde da pele.

Com tudo isso, os exercícios físicos são eficientes na redução do estresse e no melhoramento da autoimagem do indivíduo e isso promove a saúde geral e também da pele.

Colaboração: Dr. Roberto Azambuja – Dermatologista

 

Veja também

Meditação: conheça os benefícios de exercitar a mente

E compartilhe!
Desenvolvido por Visana Comunicação