Dermatologia OnlineDermatologia Online

Saúde e Beleza da pele
Publicidade
Siga-nos no Twitter Facebook
Enviar
Artigos Especiais

Corticosteróides tópicos: cuidado com os efeitos colaterais

Os corticosteróides de uso tópico (cremes, loções, géis e pomadas) trazem um grande benefício para o tratamento de algumas doenças da pele, principalmente aquelas de caráter alérgico, mas também podem provocar significativos efeitos colaterais.

A maioria destes efeitos são vistos com o uso prolongado do medicamento, mas alguns podem ser notados após poucos dias de uso. Abaixo, uma relação de efeitos colaterais que justificam o cuidado no uso de corticosteróides.

Atrofia da pele
O uso continuado de corticosteróides tópicos em uma mesma área pode provocar o afinamento da epiderme e alterações na derme. A pele se torna fina, pregueada e brilhosa. Áreas afetadas podem ficar mais deprimidas que a pele ao redor, com formação de finos vasos sanguíneos, clareamento da pele e proeminência das veias subjacentes. Na maioria das vezes o processo é reversível com a interrupção do uso, mas a pele pode levar meses para voltar ao normal.

Estrias
O uso repetido dos corticosteróides tópicos em áreas de dobras como virilhas e axilas pode resultar em estrias, que são permanentes e irreversíveis. O caso abaixo é de uma pessoa que usou, por um longo período, um creme indicado por um amigo, que não era médico, para tratar uma suposta "alergia ao desodorante".

estrias

Alteração da imunidade
Os corticosteróides tópicos alteram a forma como o sistema imune funciona e podem inibir a habilidade da pele para combater infecções bacterianas ou fúngicas (micoses). Um exemplo típico é o uso de corticosteróides para tratar coceiras na virilha como se fossem alergias quando, na verdade, se trata de uma micose, facilitando a evolução da doença, que se torna mais inflamatória e espalhada.

Glaucoma
Glaucoma é uma doença ocular, na qual ocorre o aumento da pressão dentro do olho e que pode chegar a afetar o nervo ótico, provocando cegueira. O uso de corticosteróides tópicos ao redor dos olhos poderia aumentar a pressão intra-ocular pela absorção da substância pela pele, chegando aos olhos.

Rosácea por corticosteróide
Este é um efeito colateral comumente observado em pessoas de pele muito clara que já sofrem de rosácea. Um típico exemplo ocorre quando uma pessoa usa um corticóide leve na face para controlar a vermelhidão. Com o desenvolvimento de tolerância ao medicamento pela pele, cada vez é necessário um corticosteróide mais potente e a interrupção da aplicação provoca intensa vermelhidão e formação de pústulas.

Siga corretamente as instruções do seu dermatologista

Diante disso, compreende-se a importância de usar o medicamento seguindo exatamente as instruções do seu médico, prestando atenção ao número de aplicações diárias e ao tempo de utilização.

Os corticosteróides são uma excelente medicação quando utilizados de forma adequada. Não adianta exagerar a aplicação na tentativa de melhorar mais rápido, pois isso pode causar prejuízos à sua pele que vão atrapalhar e alongar o tratamento.

Além disso, respeite o tempo de uso que seu médico determinou. Se você não melhorou, retorne à consulta e ele indicará o procedimento correto a ser seguido.

Para evitar erros de uso de medicamentos, certifique-se sempre de ter entendido a receita do seu médico e tire todas as suas dúvidas antes de sair da consulta. Se as dúvidas surgiram ao chegar em casa, ligue para ele e confirme qual é a maneira correta de utilizar os medicamentos que ele indicou.

Colaboração: Dr. Roberto Barbosa Lima - Dermatologista

Veja também

Mais Artigos Especiais


Encontre um dermatologista



 

Publicidade

Todos os direitos reservados © Dermatologia.net - desde 1996
É proibida a reprodução de fotos e textos sem a nossa autorização expressa.