Dermatologia OnlineDermatologia Online

Saúde e Beleza da pele
Publicidade
Siga-nos no Twitter Facebook
Enviar
Estética

Peeling de ácido retinóico para o tratamento do melasma

O melasma é uma dermatose frequente que, apesar do seu caráter benigno, provoca grande impacto na qualidade de vida dos pacientes acometidos, interferindo nos âmbitos psicossocial, familiar e profissional.

Caracteriza-se por manchas escuras que aparecem em áreas expostas ao sol, localizadas preferencialmente na face. É mais frequente em mulheres e costuma surgir entre os 30 e 55 anos de idade.

melasma

Entre os fatores comumente envolvidos com o seu surgimento estão: gravidez, uso de anticoncepcionais, terapias hormonais e exposição à radiaçao solar.

Tratamento é difícil

O tratamento do melasma é um desafio, já que a doença apresenta, muitas vezes, um curso refratário e recorrente, com reaparecimento das manchas após a melhora.

Os peelings químicos fazem parte do arsenal terapêutico, sendo os de ácido retinóico uma das opções com resultados satisfatórios.

Estudo comparou peelings

Um estudo foi realizado com 30 pacientes (27 mulheres e 3 homens), com idade entre 25 e 59 anos, que foram submetidos a 4 sessões de peelings de ácido retinóico a 5% ou 10%, com intervalos de 2 semanas entre cada sessão. Além do peeling, o único produto adicional utilizado foi o protetor solar.

Após o tratamento, na avaliação global dos dois grupos tratados, houve melhora estatisticamente significativa dos testes que avaliam a melhora clínica (Masi) e a qualidade de vida (MelasQol), mostrando que o peeling de ácido retinóico a 5% ou 10% é eficaz como tratamento exclusivo do melasma.

No entanto, foi observado que a melhora clínica não correspondeu a uma melhora proporcional na qualidade de vida e que os pacientes em uso de anticoncepcional oral ou terapia de reposição hormonal durante o tratamento tiveram piores resultados.

Um dado interessante foi a segurança deste peeling, medida pela ocorrência de poucos eventos adversos, todos leves e transitórios, como vermelhidão e descamação no pós-peeling imediato.

Conclusão

O estudo concluiu que o peeling de ácido retinóico é eficaz e seguro no tratamento do melasma, como tratamento isolado, e que não há diferença de melhora quando se comparam as concentrações de 5% e 10%.

Os autores sugerem estudos adicionais, tanto investigando concentrações menores do ácido retinóico como o comparando a outros peelings superficiais.

Fonte: Surgical & Cosmetic Dermatology 2011;3(1):17-22.

Veja também

Mais assuntos de estética


Encontre um dermatologista



 

Publicidade

Todos os direitos reservados © Dermatologia.net - desde 1996
É proibida a reprodução de fotos e textos sem a nossa autorização expressa.