É fácil prevenir-se contra o câncer de pele. Saiba como clicando aqui!

Realização: Barbosa Lima Dermatologia

Menu

Pesquisar

Fulguração de lesões cutâneas

A fulguração é realizada com um aparelho de eletrocoagulação, disparando-se uma faísca elétrica sobre a lesão, que seca imediatamente, formando uma pequena crosta que é eliminada em alguns dias.

Técnica utilizada em lesões bem pequenas, para as quais uma rápida fagulha é suficiente. Pode ser realizada até mesmo sem anestesia ou com uso de anestésicos sob a forma de creme, aplicados com antecedência de uma hora.

Continue a ler após a publicidade…



Fulguração para pequenos vasos

A técnica é muito utilizada para para tratar pequenos vasos dilatados (telangiectasias) ou angiomas estelares.

Neste caso, utiliza-se uma ponteira muito fina, que é introduzida no vaso. Quando a faísca elétrica é disparada, a energia faz com que ele se feche.

Na foto abaixo, o procedimento foi utilizado para o tratamento de um angioma estelar, também chamado de nevo araneus, com ótimo resultado estético.

fulguração
Fulguração de angioma estelar
Cortesia do Dr. Roberto Barbosa Lima

A fulguração também pode ser utilizada para o tratamento de pequenos acrocórdons, do molusco contagioso e da dermatose papulosa nigra.

.

Publicado por: Dr. Roberto Barbosa LimaDermatologista Titular da SBD
Instagram: @dr.robertobarbosalima

.

Gostou? Compartilhe!

Dr. Roberto Barbosa Lima

Coordenador do Dermatologia.net

Especialista da Sociedade Brasileira de Dermatologia e Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica.

Saiba mais

O câncer de pele é curável

Procure o Dermatologista

Surgiu um sinal novo? Não perca tempo! O câncer de pele, quando tratado precocemente, pode ser curado.

Saiba mais

Desenvolvido por Visana Comunicação